Como poder adquirir equilíbrio emocional diante de perdas e conflitos?

A resposta abaixo vai para a pergunta de Francyelli De Paula. Gratidão!

Se você quiser me enviar também uma pergunta, poste nos comentários desse artigo.

Abraço

Maksuri

Como poder adquirir equilíbrio emocional diante de perdas e conflitos?

Eu confesso que por mais que me sinto uma mulher forte e guerreira, tenho dificuldade ainda em lidar com uma perda de relacionamento amoroso por exemplo, e quanto a conflitos, me machuca o que os outros fazem ou falam do próximo ou contra mim. Queria adquirir um melhor equilíbrio pra que essas coisas não me desestruturasse.

Grato por sua pergunta.

O equilíbrio emocional é fundamental para progredir e evoluir na vida.

Se o seu emocional fica ferido com as perdas e conflitos do passado, é como se você quisesse caminhar tendo correntes nos pés, que lhe puxam pra trás.

Não consegue né?

E acaba repetindo no presente os mesmos padrões do passado.

E sofrendo por isso…

Se o seu emocional fica abalado com o que as outras pessoas falam ou fazem, e você carrega isso dentro do seu coração, é como querer abraçar as pessoas tendo os próprios braços acorrentados no seu corpo.

Não consegue abraçar.

O equilíbrio é algo dinâmico, como caminhar sobre a corda bamba.

Quando sente que está pendendo para um lado, joga o seu corpo pro outro. Se começa a pender muito pro outro lado, joga seu corpo levemente pro outro lado. E assim se mantem em equilíbrio.

Então de um lado temos o estado de ingenuidade em que você permite tudo, aceita tudo e fica passiva. Do outro lado temos o estado de desconfiança total, em que você não permite nada e espera o pior do outro. O equilíbrio está bem no caminho do meio.

Existem algumas premissas que é bom ter em conta: Você é um ser em evolução, por tanto tem luz e sombra, fortalezas e debilidades, acertos e erros. Então não se exija perfeição absoluta. E sim dê o melhor de si, vá além de seus limites gradualmente.

É importante sentir amor incondicional por si mesma, porque o amor irá sustentar sua motivação para aprender, crescer e se transformar continuamente. Então, se você comete algum erro, perdoe-se, repare o antes possível e fique atenta a não cometê-lo mais. Mas não tenha medo de cometer erros, eles são necessários no aprendizado e desenvolvimento.

Se você honrar principios como o respeito, a honestidade, a confiança, a responsabilidade, a humildade, a generosidade etc. mesmo que cometa erros, você logo aprenderá e beneficiará a si mesma e aos demais.

A sabedoria vem da experiência.

Por outro lado, colhemos o que semeamos. Então é bom sempre semear boas intenções e boas ações. Não prejudicar ninguém, fazer o bem aos demais e controlar sua mente.

Se você aprende a se amar incondicionalmente, se cuidando, sendo gentil consigo, como uma mãe de si mesma, e ao mesmo tempo se desafiando, se confrontando e sendo firme consigo, como um pai de si mesma, então poderá também canalizar essas atitudes em equilíbrio para com as demais pessoas.

O segundo ponto é: as demais pessoas também são seres em evolução, com sua luz e sombra, acertos e erros, fortalezas e debilidades. Então é natural que falhem. Principalmente se estão presas na ilusão de seu ego, nos medos que nasceram de traumas passados, na projeção da relação com seus pais e irmãos nas demais pessoas, na repetição dos mesmos padrões negativos por hábito ou por querer resolver de alguma forma, e se estão presas na inconsciência ou automatismo, sem conhecer nem honrar os grandes principios como a vontade, o amor e o saber.

Por isso, ame-as incondicionalmente, perdoe suas faltas mesmo antes de surgirem. Dê-lhes a mesma liberdade que você merece, de usar seu livre arbítrio e fazer o que acha o correto.

Agora o terceiro ponto: as pessoas que você atrai pra sua vida, em especial as que mais gosta e as que mais detesta, estão relacionadas com o que você precisa aprender de si mesma. São um espelho seu. Quando você aprende o que precisa com uma delas, esta se vai ou simplesmente o tipo de relação com ela se transforma e vai a outro nível.

O quarto ponto é que você tem o poder de fazer escolhas conscientes. Escolha se relacionar com as pessoas que estão alinhadas com os teus valores fundamentais, e que após observá-las atentamente por certo tempo, 3 meses a 1 ano, por exemplo, você percebe que elas seguem os princípios que você valoriza, e que desejam evoluir continuamente, que tem um propósito nobre na vida etc. Então, compreendendo estes pontos, você pode viver intensamente uma relação amorosa, de amizade ou de trabalho, escolhendo com quem, e sempre atenta a ser exemplo vivo e congruente daquilo que espera ver na outra pessoa.

Em uma relação evolutiva, ambos se apoiam com respeito, confiança, honestidade, autorresponsabilidade, compromisso e humildade. Com carinho e admiração. Então, se apoiam a ter mais acertos que erros, a experimentar coisas novas e aprender logo com seus erros, adquirindo sabedoria. Se apoiam a cultivar e criar um relacionamento cada dia melhor.

E se um dia esse relacionamento não faz mais sentido para ambas ou para uma delas, simplesmente se agradecem uma à outra por tudo que viveram juntas, uma reconhece a outra, o melhor do que viveram e aprenderam, e se liberam entre si para viver novos ciclos com outras pessoas. No mundo da forma tudo sempre muda, nada é eterno senão a mudança.

O apego vem do medo da mudança. Se compreendemos que toda mudança tem um propósito evolutivo que com o tempo entenderemos, e que o mundo funciona assim, e que tudo que nasce, morre, então nos desprendemos do medo da mudança, e por tanto, do apego.

Também nos desprendemos de rejeitar coisas e pessoas.

A vida se torna um viver consciente e atento a cada dia, como se fosse o primeiro, como se fosse o último dia.

Mas com visão de longo prazo, que beneficie a todos no planeta.

Tendo a perspectiva que somos umas pessoas microscópicas num planeta que é um grão de pó que dança numa galáxia gigantesca que por sua vez dança num universo imensurável, e que nossa vida passa rapidíssimo. E que temos dentro de nós o todo, a Deus mesmo, e estamos conectados com tudo que existe.

Então vamos valorizar nossa vida, nosso tempo, nossa consciência. E fazer algo útil conosco.

Então, escolhemos conviver e nos relacionar com quem tem uma consciência semelhante ou melhor e mais ampla que a gente. E ajudar quem tem menos consciência, se é que estão abertos e pedem essa ajuda. Não importa quem sejam.

Isso é o que venho aprendendo e praticando na minha vida. E me sinto feliz assim.

Certa vez um homem bateu na cara de Buda. Um dos discípulos se enfureceu. Buda respondeu: “Fique tranquilo. Ele não bateu em mim porque há muitos anos não há mais dentro de mim um ego que se ofenda. Sou o todo. Ele bateu na imagem que ele tem de mim.” O homem, que ouviu isso e viu que Buda permanecia em equilibrio emocional, em paz, disse “Me falaram que você era um louco e que contaminava os jovens. Por isso vim aqui e lhe batí. Agora que vi sua reação, compreendo que você conquistou a paz interior que eu busco. Quero ser seu discípulo.”

A meu ver, devemos nos esforçar dia a dia por evoluir e transformar os instintos animais do medo, da raiva e da tristeza, em sentimentos humanos do amor universal, da compaixão, da generosidade, para com a gente mesmo e para com todos os demais, porque somos um.

E devemos nos inspirar em seres como Jesus e Buda que alcançaram o estado evolutivo que almejamos.

Me conte nos comentários abaixo o que achou da resposta. E se tem uma pergunta, pode fazer.

Abraço

Maksuri

#equilíbrio #emocional #perda #inteligênciaemocional #conflito